quarta-feira, 4 de novembro de 2020

Quartas Mandalorianas: T02E01: "Chapter 9 - The Marshal"



Gloriosas saudações! Um cumprimento muito apropriado para um episódio cheio de glórias, tanto para os personagens quanto para os fãs. Mas antes de começarmos a falar dessa temporada, acho que uma recapitulação da primeira é relevante.


Na primeira temporada conhecemos “O Mando” um Mandaloriano cujo nome, Din Djarin, só foi revelado no episódio final. Ele trabalha numa galáxia pós-Imperial como Caçador de Recompensas para a Guilda e num momento de necessidade, ele aceita um contrato do submundo do crime, o que o leva para um misterioso Oficial do Império, que comanda um pelotão de Stormtroopers escondidos no planeta de Nevarro. Este “Cliente” oferece a Din aço Mandaloriano, mais conhecido como Beskar, que foi adquirido pelo império durante o Expurgo de Mandalore como pagamento por um trabalho de alta prioridade, um alvo que deve ser adquirido e recuperado, ou morto. Din vai em caçada, e após adquirir ajuda de um fazendeiro local e um Dróide Assassino que também trabalhava como Caçador, Din chega ao alvo. Um bebê de cinquenta anos de idade, que nós espectadores reconhecemos como sendo da mesma espécie de nome desconhecido do Mestre Yoda. A Criança, ou para nós o Bebê Yoda, é levada por Din de volta ao Cliente, que paga Din com Beskar suficiente para ele forjar uma armadura inteira, com a ajuda de uma Ferreira Mandaloriana. Mas, após adquirir sua armadura nova, ele se arrepende de abandonar o bebê, e o resgata das mãos do Cliente. Ele então entra em fuga dos Imperiais e da Guilda, sobrevivendo fazendo os poucos trabalhos que pode. Até que decide que não vai mais fugir. Ele reúne uma antiga colega de luta, Cara Dune, e o líder da Guilda dos Caçadores, Greef Karga, junto do fazendeiro que o havia ajudado anteriormente, Kuiil, que havia reprogramado o dróide assassino, IG-11, para ser seu ajudante. Em equipe eles voltam para Nevarro, agora abertamente ocupada pelos Imperiais. Eles tentam enganar o Cliente, mas este é morto pelo seu comandante, Moff Gideon, um oficial do Departamento de Segurança do Império, o braço de inteligência das forças Imperiais. Gideon revela saber mais sobre os envolvidos no plano de Din do que eles pensavam, e dois de seus Scout Troopers conseguem matar Kuiil e adquirir o bebê, mas eles são mortos pelo IG-11 que vai ao resgate de Din e dos outros. Eles conseguem escapar, mas IG-11 se sacrifica para que os outros evitem uma emboscada, e eles são confrontados por Gideon, num Caça TIE. Din, tendo adquirido uma mochila à jato da Ferreira durante a fuga, consegue derrubar o caça de Gideon e parte para seguir as ordens da Ferreira: “Retornar o bebê ao seu povo.” Gideon, apesar de sobreviver a queda, precisa utilizar uma ferramenta para cortar a lataria do TIE caído para sair dos destroços. Essa ferramenta é um sabre de luz cuja lâmina é fina e negra, que nós espectadores reconhecemos como o Darksaber, arma do único Mandaloriano a ser aceito na ordem Jedi, Tarre Vizsla.


A primeira temporada nos deixou com muitas dúvidas: Como GIdeon adquiriu o Darksaber? O que ele quer com o bebê? Din vai levar o bebê à sua espécie, ou aos Jedi? Ele sequer sabe que essas duas coisas são distintas? Bom, este episódio não cobre essas respostas, mas deixa expectativas altas para o resto da temporada. Uma descrição sem spoilers é que Din resolve procurar ajuda de outros Mandalorianos para completar sua missão, e é direcionado para uma cidade remota de Tatooine, onde o Xerife local pede a ajuda de Din na caçada mais única da galáxia.


SPOILERS A PARTIR DE AGORA!!!


O episódio começa numa cidade desconhecida, mas de aparência industrial. Din e o bebê andam pelas ruas desertas, onde são observados por diversos olhos vermelhos além das luzes das ruas. Eles chegam à uma porta guardada por um Twi’lek mal-encarado. Din diz que está lá para ver Gor Koresh, e o guarda observa o bebê por um momento, Antes de permitir sua entrada. Dentro do local há um ringue de luta onde dois Gamoreanos lutam com machados. Din encontra Gor, e diz que está procurando outros Mandalorianos para o ajudar a levar o bebê ao seu povo. Gor então pergunta se Din quer fazer uma aposta, o Gamereano que está vencendo a luta vai perder em menos de um minuto e meio. Se ele perder, ele dá a informação, se ele ganhar Din lhe dará a armadura de Beskar. Din afirma que pode pagar, mas não quer deixar o destino à chance, e Gor concorda, atirando no Gamoreano e apontando sua arma para Din. Din responde que se Gor der a informação ele vai embora sem matá-lo. Gor questiona se Din não é mesmo um apostador, mas Din afirma que não é, liberando um ataque de Pássaros Assoviantes nos guardas de Gor. Ele derrota os guardas que sobraram enquanto Gor sai do recinto, mas ele logo o alcança e o pendura num poste de luz. Gor promete que vai dar a informação se Din não o matar, e Din promete que Gor não morrerá por sua mão. Gor então dá a informação que ele tem: Tem um mandaloriano na cidade de Mos Pelgo em Tatooine. Din agradece e atira na luz do poste, dizendo que tirar Gor do poste não era parte do acordo. As criaturas de olhos vermelho se aproximam de Gor enquanto Din e o bebê partem, os gritos de Gor ao fundo.

Algum tempo depois, Din chega à Tatooine, pousando no mesmo hangar da última vez em Mos Eisley. Lá ele re-encontra Peli, que começa a mimar o bebê, e até brinca que quer comprá-lo, e você não pode me convencer que Din não estava com um sorrisão debaixo do capacete nessa hora. Ele explica a Peli o plano dele de se encontrar com outros Mandalorianos para adquirir informações e ter suporte nas suas movimentações pela galáxia em busca do povo do bebê. Ele pede a localização de Mos Pelgo, e Peli chama um dróide R4, que nós espectadores reconhecemos como o dróide que o Tio Owen quase comprou no início de Uma Nova Esperança, ele até tem a marca de queimadura de quando seu motivador falhou. O dróide mostra um holograma de mapa de Tatooine, aonde Peli aponta a localização de Mos Pelgo para Din, que leva um dos Speeders que ele usou da última vez para viajar.

Ele parte, com o bebê na garupa, e como o bebê está sempre com Din, mas não tem muitas ações no episódio, só lembrem que ele está lá, eu não vejo necessidade de listá-lo o tempo todo. Ao chegar na cidade, um vilarejo pequeno e remoto, praticamente dentro do mar das dunas, ele vai até a cantina, pedindo informações ao bartender. Din pergunta se ele viu alguém vestido como ele, e o bartender diz que a única pessoa com uma roupa dessas é o Xerife local, que logo em seguida aparece na porta. Nós espectadores reconhecemos a armadura do Xerife como sendo a armadura de Boba Fett, com claros sinais de deterioração e velhice. O Xerife pede uma bebida e chama Din para conversar, mas ele então tira o capacete e vemos que este não é Boba Fett, e o próprio Xerife confirma não ser quem Din estava procurando ao dizer que nunca conheceu um Mandaloriano de verdade. Ele se apresenta como Cobb Vanth, e explica que conseguiu a armadura com um bando de Jawas. Cobb é um personagem da trilogia de livros Marcas da Guerra, onde nos capítulos onde aparece ele adquire a armadura e então a usa para proteger a cidade, uma história que ele confirma no episódio mais à frente, falaremos mais sobre ele mais tarde. Din ordena que Cobb retire a armadura, pois não pertence a ele, mas um potencial tiroteio é interrompido por um enorme tremor. Indo ao lado de fora, uma onda de areia de algo se mexendo no subterrâneo se aproxima e atravessa o vilarejo, subindo somente para devorar um Bantha com uma única mordida. Cobb então diz que ele e DIn podem fazer um acordo. Ele explica que a criatura era um Dragão Krayt, e que se Din o ajudar a matá-lo ele irá devolver a armadura. Din concorda.

Din e Cobb partem, Cobb dizendo saber onde o dragão dorme. É neste momento que Cobb explica a história já mencionada por mim, e, novamente, falaremos mais disso depois. Eles chegam a uma passagem num cânion, e um barulho os faz parar. Um barulho muito parecido com o chamado de acasalamento de um dragão krayt, que Obi-Wan sabia imitar tão bem. Mas ao invés de um dragão eles se deparam um alguns cachorros reptilianos. Din faz uns grunidos e direção aos cachorros que se aproximam, revelando serem domesticados pelo Povo da Areia. Din se comunica com eles, e revela a Cobb que o Povo da Areia também querem matar o dragão.

Eles vão até o vilarejo do Povo da Areia passar a noite, onde Cobb recusa uma bebida deles, causando uma tensão que Din acalma, lembrando a todos que se brigarem entre si o Dragão iria devorar a todos eles. Na manhã seguinte o grupo chega até o lar do dragão, que o Povo da Areia diz ser um Poço de Sarlacc abandonado. Cobb diz que não existe um Poço de Sarlacc abandonado, mas Din explica que dá pra esvaziar um, se você comer o Sarlacc. Din diz que o Povo da Areia sabe como manter o dragão saciado com sacrifícios, mas ao tentarem um dos deles é devorado ao invés do Bantha que ele entregou, necessitando uma nova ideia. De volta ao vilarejo eles planejam algum tipo de ofensiva, mas necessitando mais forças, Din usa Mos Pelga como voluntários.
Din e Cobb voltam a Mos Pelga, comentando que o Povo da Areia os atacou no ano anterior, e que não vai ser fácil convencer o povo. Cobb explica a situação com o dragão para o povo, mas ao mencionar o Povo da Areia, o povo começar a gritar e brigar. Din interrompe, dizendo que conhece o Povo da Areia, e que eles são saqueadores, mas são pessoas honrosas. Se o povo deixar a carcassa do dragão inteira para eles, eles irão cessar toda e qualquer atividade hostil para com Mos Pelga, a menos que alguém do próprio vilarejo atire primeiro. O povo concorda.

Na beira da cidade, as pessoas começam a colocar explosivos de mineração em caixas para transporte, equipamentos que sobraram quando a cidade foi ocupada pela Guilda de Mineração, a facção contra qual Cobb lutou usando a armadura que comprou. O Povo da Areia logo chega e ajuda a terminar o carregamento, e então todos partem em direção ao lar do dragão.
Lá, eles determinam que o dragão está dormindo e começam o plano: colocar os explosivos enterrados na frente da caverna e atrair o dragão para fora. Assim que ele estiver com sua barriga, o único ponto fraco, sobre os explosivos, eles irão matá-lo. O Povo da Areia consegue atrair o dragão, e as forças combinadas conseguem colocar o dragão na posição certa, mas com algumas perdas para mordidas, esmagamentos, e disparos de ácido da boca do dragão. Mas não é suficiente. Din e Cobb usam suas mochilas à jato para tentar distrair o dragão, mas não tem muito sucesso, até que DIn vê que um dos banthas ainda está carregando explosivos. Din pede que Cobb atraia a atenção do dragão com um míssil, e então golpeia sua mochila à jato, mandando ele voando em direção à segurança, e pedindo que ele tome conta do bebê. Din então é devorado pelo dragão com o bantha. Após alguns segundos o dragão emerge da areia, e raios saem de sua boca, um resultado de Din usar a função de choque do seu rifle. Ele voa para fora e então ativa os explosivos, explodindo o dragão de dentro para fora.

Após a poeira baixar, vemos o Povo da Areia cortando as sobras da carcaça, e um encontra uma Pérola, e apesar de na continuidade Legends as Pérolas de Dragão sempre serem do tamanho de uma pérola do mundo real, no novo Canon elas podem ter vários tamanhos, essa sendo tão grande quanto uma bola de praia. Como elas são um tipo de Cristal Kyber, é provável que uma lasca dessa pérola enorme possa ser usada num sabre de luz sem dificuldades, e se equivale a uma pérola pequena inteira.

Cobb entrega a armadura para Din, dizendo para ele avisar ao povo dele que não foi ele que causou os danos. Din guarda a armadura, e um belo bife gigante de Dragão pra viagem, e parte de volta a Mos Eisley. Nós então vemos, durante o por do sol, enquanto Din continua sua viagem, uma figura com uma capa e rifles nas costas o observando. A figura vira de frente para as câmeras, e nós vemos que o ator é Temuera Morrison, o mesmo que interpretou Jango Fett e os clones nos filmes, o que significa que este personagem, careca e coberto de cicatrizes e queimaduras, é Boba Fett, que também era um clone de Jango. Ele anda em direção à câmera. Facilitando o corte para tela preta, e terminando o episódio.


Nossa, quanta coisa! E quanta coisa, inédita e inacreditável! Se alguém me perguntasse ano passado se um personagem secundário dos livros iria ter sua chance em Live-Action, eu diria que nunca, e que Boba Fett iria aparecer com armadura, tendo recuperado ela após os eventos do livro, mas não! Mos Pelga, Cobb Vanth, a história dele, tudo como nos livros. E isso é maravilhoso para um fã dessa conectividade do universo como eu. E, o fato do episódio terminar com Boba Fett ao invés do Din sair do planeta dá a chance deles se encontrarem no próximo, de falarmos mais sobre Boba e o que ele acha de suas raízes mandalorianas, afinal ele é um clone/filho de um homem que se dizia Mandaloriano, mas que alguns dizem ter roubado a armadura. Mais dúvidas para serem respondidas, grandes expectativas para o próximo episódio, e a temporada como um todo, afinal, se um personagem dos livros apareceu na série com toda sua história intacta, será que os rumores de que alguns personagens dos desenhos iriam aparecer nessa temporada não só são verdade, como vão ser inacreditavelmente satisfatórios para fãs dos desenhos? Vamos ter que ver para crer. Se eu tenho uma crítica desse episódio é que o bebê acabou sendo só um observador, sem nenhum tipo de atividade na trama, além das menções que eu dei. Mas isso é claramente compensado por ele fazer muitas mais vocalizações fofinhas do que na primeira temporada, então eu estou muito satisfeito.


Por favor, comentem o quê acharam, comentem dúvidas e curiosidades que queiram que eu fale sobre na análise do próximo episódio na semana que vem, e até lá que A Força esteja com vocês, e lembrem-se: Este é o caminho.


The Mandalorian é disponibilizado somente na Disney+, que será lançada no Brasil no dia 17 de Novembro, por favor assistam com responsabilidade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário